A produção de uma cerveja caseira muito especial passo a passo para você!

Normalmente falamos sobre vinho, mas por uma razão muito especial, hoje vamos explicar passo a passo para você como se faz cerveja. Você vai perceber logo que esta certamente não é uma cervejaria industrial com sua centena de tanques de inox gigantes com centenas de milhares de litros. Você pode pensar que se trata de uma microcervejaria, mas estas produzem cerca de 200.000 litros por mês, o que também não é o caso. Vamos ver como é feita a cerveja de forma caseira, artesanal, numa “nanocervejaria”. O que os cervejeiros chamam por aí de paneleiros, mas que resgata a maneira que a cerveja era feita há séculos. Quem sabe você não se entusiasma e faz a sua também?

Paneleiros mesmo!
Paneleiros mesmo!

O que a gente vai ver aqui é a produção caseira de cerveja e para isso, o primeiro passo é a escolha da receita. Tem gente que procura na internet, tem gente que usa programas como por exemplo o Beer Smith e tem gente que usa a receita da família mesmo.

Receitinha na mão, hora de se dirigir ao seu fornecedor predileto, seja de carro ou via internet e escolher o malte, o lúpulo e a levedura de acordo ao estilo de cerveja que você queira produzir.

DSC02821
Preparando o malte para a moagem.

O segundo passo, seria a malteação, ou seja: a ativação natural das enzimas presentes nos grãos, que serão utilizadas durante o processo produtivo para converter o amido em açúcares. A malteação também influencia em 4 características importantes da cerveja:

  1. cor;
  2. aroma;
  3. sabor;
  4. espuma.

Então tem que capricha na hora de moer todos os grãos. Parece simples, bem fácil, mas dá um belo trabalho. A moagem não pode deteriorar completamente o grão porque aí você produz uma farinha que termina numa papa impossível de ser trabalhada e não pode deixá-los inteiros, pois aí não há ativação suficiente das tais enzimas.

DSC02830
Moedor (manual) de cereais caseiro.
DSC02850
Grãos moídos.

 

 

 

 

 

 

Daí partimos para a maceração, necessária para as substâncias insolúveis tornarem-se solúveis através daquelas enzimas ativadas e da ebulição. Então, água quente neles. Os grãos moídos são adicionados à água a 66°C. Repare que a água não abriu fervura. Só está bem quente, para isso é recomendável a utilização de um termômetro próprio.  No momento da adição, a temperatura cai para 62°C e deve manter-se assim por uns 40 minutos. Este processo contém a mágica que vai transformar o amido dos grãos em açúcar, parte fundamental da fermentação.

DSC02841
A água pura deve ser aquecida para o processo.
DSC02849
Tudo moidinho e pronto para ir para a panela.

 

 

 

 

 

 

 

Depois destes 40 minutos, a temperatura deve subir a 72°C por 20 minutos e em seguida até 78°C. Tudo isso parece uma tremenda chatice de sobe e desce de calor, mas é muito importante para provocar e interromper a atividade enzimática nos momentos corretos e você ter o produto adequado para a fermentação.

DSC02855
Olho no termômetro e aquela mexidinha para garantir a liberação do amido.

Aí começa o passo seguinte que é a recirculação de 50% do volume total de líquido para extração adicional de açúcares do malte e é assim mesmo, você abre a torneirinha da sua panela de cerveja enche uma jarrinha e joga ela de volta. Se a sua panela tem , digamos uns 40 litros, você deve recircular uns 20 litros. Se a sua jarrinha tem um litro, significa que você deve fazer isso 20 vezes. Atenção nas contas e força no muque que você chega lá.

DSC02864
Neste momento você vai fazer a extração final, tirando praticamente todo o líquido e adicionando um 50% do volume total de água a 78°C para lavar bem o malte e extrair todo o açúcar dele. Então, supondo aquele caldeirão de 40 litros sobre o qual falamos anteriormente, significa que você vai precisar de mais uns 20 litros de água quente para esta fase. Dá para ver que a água é parte muito importante na produção da cerveja. É fundamental que ela não só seja limpa e sem resíduos, como de ótima qualidade, realmente pura e sem químicos.

Escaldando para a extração final.
Escaldando os grãos para a extração final.

Finalmente você tem uma base cheia de açúcares perfeitos para a fermentação. A papa de malte é desprezada, aliás é ótima como adubo natural. E os 2 líquidos devem ser misturados.

DSC02901
Parece cerveja, mas é suco de malte. Docinho e sem gás.

Esta mistura volta ao fogo para atingir uma fervura vigorosa e então se adiciona o lúpulo de amargor. É importante tomar cuidado para não transbordar porque o lúpulo levanta espuma ao entrar em contato com o malte fervente e pode causar acidentes. Ferva por 50 minutos e adicione o lúpulo de aroma,  fervendo por mais 10 minutos.

Pronto. Finalmente se terminou o parte quente da produção de cerveja. Agora começa o processo de resfriamento do líquido que está a cerca de 100°C para uns 25°C, utilizando uma placa resfriadora, enquanto se transfere a cerveja da panela para o balde de fermentação.

DSC02911
Bomba de água para o resfriamento e dedos cruzados porque elas adoram entupir…

Adiciona-se então as leveduras, pois elas serão responsáveis pela transformação do açúcar em álcool. Fecha-se o recipiente, lacra-se com o air-lock (aquela valvulazinha transparente) e leva-se à geladeira a 20°C por 1 semana aproximadamente ao fim da qual teremos o final da fermentação primária. A temperatura deve descer então a 10°C para a fermentação secundária durante 1 semana a 10 dias, dependendo das decisões do mestre cervejeiro.

DSC02917
Cerveja fermentando na geladeira.

Nos últimos 2 dias a cerveja fica a 5°C para que os sedimentos se depositem no fundo e se possa proceder com a clarificação, quando ela deixa o recipiente no qual descansou sob refrigeração e passa a outro.

DSC02941 DSC02940

 

 

 

 

 

Aí é a hora no passo final: o priming ou carbonatação que consiste na adição de 5 g de açúcar invertido (adicionado de ácido cítrico) por litro de cerveja. A cerveja precisa descansar mais 1 semana para adquirir espuma e prontinho! Você já tem uma cerveja para chamar de sua.

IMG_7020
Preparação da carbonatação.

É importante notar que a limpeza é fundamental para evitar a microbiologia invasora que pode trazer aromas não desejados em qualquer fase do processo e contaminar a sua cervejinha. Todo o material tem que ser exaustivamente lavado ao fim do processo e na fase final, a atenção especial vai para as garrafas.

DSC02856
Cada garrafa é lavada individualmente.
Garrafas secando.
Garrafas secando.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É claro que esta é 1 versão de receita de cerveja. Existem milhares. Esta segue uma escola muito austera, a alemã. A escola belga por exemplo é bem mais liberal e permite a adição de frutas, frutas secas, ervas, chocolate, etc à cerveja para propor novos sabores. Você pode encontrar a Hengist em 3 variedades:

  1. Lager com toque maltado, equilibrada pelo amargo sutil e picante do lúpulo Hallertau Tradition.
  2. Pale Ale suave com delicioso aroma floral, perfeita pra quem quer tomar várias.
  3. Strong Ale com teor alcoólico elevado e um sabor marcante do malte que é característica do estilo.

IMG_2880

A não ser que dê a loca nos cervejeiros e eles decidam criar algo novo. Agora, acho que você não encontraria nada muito diferente disto, os cervejeiros em questão, optaram por:

  • pureza da água trazida de fonte de água mineral absolutamente natural;
  • sabores sinceros dos grãos.

ambas orientações da clássica escola que homenageia o dono do nome da cerveja: o filho de alemães Décio Hengist Corrêa, nosso pai. Ele faleceu ano passou e hoje faria mais um aninho de vida. É seu primeiro aniversário sem a gente ao ladinho e  este artigo homenageia ele e o meu irmão que faz uma cerveja cheia de honestidade e qualidade, duas características que meu pai admiraria muito. Não só numa bebida. E claro, o Thiago, um cervejeiro imbatível, companheiro do Décio filho nesta loucura que é fazer cerveja em casa, processo que parece parto em filme antigo: envolve muita água quente, trabalho duro e parece que não termina nunca!

IMG_1331_Fotor
Feliz aniversário!

Como a Hengist é uma cerveja caseira, você não vai encontrar ela por aí, mas se você quiser saber mais, visite a página do Face:  Facebook – Hengist Cerveja Caseira

IMG_7180

Um comentário sobre “A produção de uma cerveja caseira muito especial passo a passo para você!

  1. Muito boa matéria mana, realmente estava me preparando para escrever algo sobre o papai hoje e acabei lendo. Lembrando que cada um tem seu processo, eu faço desta forma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s