Vinexpo – 4 coisas que aprendi e muitas dicas para você!

Este ano, a minha agenda coincidiu de eu estar na Europa justamente na data (de 14 a 18 de junho) da realização da Vinexpo, a maior feira de vinhos do mundo.

Depois de algumas contas (a França é cara e os preços de tudo nestas épocas de eventos sobem em qualquer canto do mundo) e reflexão, afinal, é uma oportunidade única, resolvi ir para Bordeaux, a cidade que respira e transpira vinho há séculos e ver para crer. Cliquei direto numa companhia aérea low cost (maravilhas que por aqui não existem) e comprei uma passagem por € 60. Isso mesmo, Porto a Bordeaux, ou seja 1.000 km, por este preço. Mais ou menos a distância entre São Paulo e Brasília.

Metrô em Bordeaux.
Metrô em Bordeaux.

Do aeroporto, fui direto para o hotel que honestamente, era muito, muito simples, e que a € 63 me pareceu caríssimo. Mas era o que deu para pagar e encontrar. Localizado em Pessac, significava 1 hora e meia de viagem até o Parc de Expositions de Bordeaux, do outro lado da cidade de Bordeaux. Mas o sistema de transporte público é fantástico: limpo, rápido, moderno, simples de entender e pontual.

No dia seguinte, pulei cedo da cama e tomei rumo ao Parc de Expositions. Chegando lá, a primeira sensação é de deslumbramento com o conjunto de prédios, a beleza do lago, o brilho das tendas e o colorido das flores.

Vista do lago e da feira. O lado esquerdo. O lado direito da ponte tem outro tanto...
Vista do lago e da feira. O lado esquerdo. O lado direito da ponte tem outro tanto…
Os países participantes.
Os países participantes.
Edificío de entrada.
Edificío de entrada.
Lista de expositores.
Lista de expositores.
Mapa da feira.
Mapa da feira.

A proposta da Vinexpo é a de qualquer feira: criar oportunidades de descobrir novos produtos, expandir portfolios, fazer negócios, discutir tendências de mercado e proporcionar networking. Nada disso é novidade. A novidade está na excelência em fazê-lo. E esta foi a primeira coisa que me dei conta ao ver uma feira de vinhos de verdade.

O maior pau de selfie que você já viu? Não, checagem de segurança.
O maior pau de selfie que você já viu? Não, checagem de segurança.
Cuspideira ostentação.
Cuspideira ostentação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os números já impressionam: são 2.350 expositores de 42 países e 48.000 visitantes de 120 países percorrendo corredores e mais corredores (haja sola de sapato e fôlego. É uma maratona.) recheados de vinhos, destilados, gastronomia e até uma livraria, fantástica diga-se de passagem, dedicada ao tema.

DSC09862
A livraria e suas mil tentações.

A gastronomia estava presente nos quase 50 restaurantes e food trucks instalados por lá: Nos trucks se podia saborear uma porção de ostras a € 6 ou um hamburguer gourmet (realmente top) a € 12. Tinha também comida thai e outros sandubas, nesta faixa de preço. Já os menus nos restaurantes iam de € 30 a … € 130 e a comida era a mais variada possível, desde californiana, passando por oriental e basca até, óbvio, a clássica francesa. Agora a fofoca. Se você é como eu, vai comprar ou trazer um sanduba e comer na beira do lago, se você é nível A, vai para um dos restaurantes atopetados de gente, se você é A+ vai almoçar num dos stands com convite VIP, mas se você é A+*, vão te buscar de helicóptero para te levar a um chateau para um almoço inesquecível. Mas tem comida para todo lado, de todo tipo e de todo preço. Comida e vinho. A segunda lição que parece pueril, mas que a gente às vezes não dá a devida importância.

Vamos almoçar lá no meu chateau?
Vamos almoçar lá no meu chateaux?
DSC09969
Almoço na beira do lago mesmo.
IMG_6788
O cook show acompanhado de harmonizações desafiadoras proposta pela Gault-Millau.

Os vinhos, nem sei por onde começar. A América do Sul bem correspondida por lindos stands de potências do mundo do vinho como Argentina e Chile, mas também por Brasil e Uruguai. Os Estados Unidos levaram seus vinhos através da Wines of California que nunca nos brindou com sua presença por estas bandas. E a Europa massivamente representada por Portugal, Espanha, Itália, Alemanha e com certeza França em todo seu esplendor. Mas também tinha África do Sul, Marrocos, China, Tunísia, Líbano e Georgia. E digo outra: muitas das degustações lá são livres; você entra num espaço do stand, pega sua taça e se serve de vinhos a vontade. Há também higienizadores de copos. Além disso havia 3 espaços livres de degustação: vinhos rosés, espumantes e doces. As cuspideiras estavam lá por toda parte para evitar excessos. Eu não vi nenhum. Nada. Zero. Na hora do almoço, via muita gente bebendo vinho e para ser honesta, depois das 17 (a feira fecha as 18:30) o ruído estava mais alto, a risada mais solta e a galera mais animadinha. Sintomas de ….vinho! Terceira lição: o comportamento profissional não impede o desfrutar da bebida, basta saber quando e como. Será que nós sabemos?

DSC09519
Brasil
DSC09489
Argentina
DSC09487
Chile
DSC09491
Califórnia
DSC09499
Portugal
Itália
Itália
DSC09494
Espanha
DSC09534
Alemanha
DSC09554
Líbano
DSC09856
Croácia
DSC09501
Grécia
DSC09537
Georgia
DSC09641
Um dos exemplos de degustação livre, enomatic e todos os dados do vinho.
DSC09508
Outra maneira, vinhos de uma país, taças disponíveis e as garrafas com os dados dos produtores caso você queira mais detalhes.
IMG_5624
Higienizador de taças a todos vapor.
DSC09500
Degustação livre de rosés da Provence. Um show a parte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas o mais legal mesmo é o amplo espaço de debates, quase 100 palestras no total dedicadas a tendências, tipos de vinhos, países e até vinho e artes (música, pintura e arquitetura). Quase tudo tem tradução simultânea com aparelhos modernos nas amplas e confortáveis salas de aula. Na esmagadora maioria dos casos a entrada é livre e mesmo sem agendar, eu consegui entrar em todas as que queria. O único problema é escolher entre duas que ocorrem simultaneamente. E a quarta lição: vinho não é só bebericar. É estudar países, terroir, produtores, consumidores e tendências. Balançar copinho e despachar aromas e sabores não é tudo para quem realmente trabalha com o tema.

O centro de palestras, workshops e debates.
O centro de palestras, workshops e debates.

Dentro destes debates, foram discutidos alguns fato relevantes:

  • 2014 foi um ano marcado por otimismo cauteloso e tendências de mercado desbaratadas.
  • A mais recente pesquisa da IWSR / Vinexpo anotou um crescimento no consumo global de vinho de 2,7% entre 2009 e 2013. Para o período de 2014 a 2018 o estudo prevê uma aceleração do crescimento global. Em 2018 o consumo global o consumo global está estimado em 32,78 bilhões de garrafas.
  • Para os destilados o desafio para os próximo anos vai ser muito importante. O consumo global alcançou 3.069 milhões de caixas de garrafa de 9 litros em 2013 com um crescimento de 19,1% comparado a 2009. Entre 2014 e 2018 espera-se que o consumo cresça novamente, mas de maneira mais lenta, a 3%.
  • Países com altas taxas de crescimento incluem os EUA, então não foi coincidência que este país tenha sido a nação convidada de honra na Vinexpo. Muitas conferência e degustações foram dedicadas aos EUA, cujo consumo de vinho cresceu 23,3 % entre 2009 e 2013, acompanhado pelo aumento na exigência de qualidade. Estima-se que cresçam 11% entre 2014 – 2018.
Assim se sabe quem o convidado de honra.
Assim se sabe quem é o convidado de honra.

A gente percebe aqui o vinho como negócio, com profissionalismo, aberto, franco e participativo. Não vi ninguém do Brasil por lá a não ser um crítico especializado que não se comunica por mídias sociais e uma equipe de um site de venda de vinhos. Também não vi um comentário de ninguém sobre o evento. Parece que não existe.

Na minha opinião, é uma experiência única, e recomendo que se você tiver a oportunidade, visite a feira alguma vez na vida. Vale muito a pena.

Essa procurando distribuidor....
E esta procurando distribuidor….
Momento descontração. Feira cansa....
Momento descontração. Feira cansa….

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E vem mais post por aí com mais detalhes de tudo que eu aprendi. Espero que as dicas acima ajudem você a entender a feira e a se planejar se quiser dar uma volta por lá. A Vinexpo 2016 vai ser em Hong Kong. Prova de quem é o segundo maior influenciador neste negócio, após os americanos: os chineses.

Os chineses vem pra negócio.
Os chineses vêm pra negócio.

Ahhh, quase me esqueci de dizer que a Vinexpo é INTEIRAMENTE GRÁTIS para profissionais: € 0.

Números: Vinexpo Daily (o jornalzinho diário da feira) de 15.06.2015

4 comentários sobre “Vinexpo – 4 coisas que aprendi e muitas dicas para você!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s